A melhor maneira de predizer o futuro é inventá-lo. O nosso futuro depende daquilo que fazemos hoje.

Sim, muito perigoso. Muitas pessoas usam pilhas e baterias e depois as jogam nos rios, nas praias, nas ruas ou terrenos baldios à céu aberto, enfim, no meio ambiente, sem saber que poderão estar envenenando seres humanos. Pilhas e baterias que contém chumbo, cádmio ou mercúrio são altamente prejudiciais à saúde e constituem num veneno lançado no meio ambiente. Essas pilhas e baterias jogadas no meio ambiente, podem ser manuseadas por crianças. Muitas vezes, pessoas guardam essas pilhas em casa junto de alimentos e remédios. Com o passar do tempo, as pilhas podem se oxidar e vazar substâncias tóxicas. Agricultores compram adubo orgânico que pode estar contaminado por metais pesados das pilhas e baterias. O perigo ocorre também quando se joga uma pilha ou bateria dessas, no lixo comum, pois há o risco dessas substâncias entrarem na cadeia alimentar humana, causando sérios danos à saúde. Pode ocorrer oxidação ou então alguma deformação mecânica que faz com que as substâncias vazem para o meio ambiente. Essas substâncias atingem os lençóis freáticos, córregos e riachos. Entram nas cadeias alimentares através da ingestão da água ou de produtos agrícolas irrigados com água contaminada.

Mercúrio pode causar distúrbios renais e neurológicos, mutações genéticas, e alterações no metabolismo e deficiências nos órgãos sensoriais (tremores, distorções da visão e da audição). Cádmio é um agente cancerígeno e que pode causar danos ao sistema nervoso. Se acumula, principalmente, nos rins, fígado e nos ossos; provoca dores reumáticas e miálgicas, distúrbios metabólicos que levam à osteoporose, disfunção renal e câncer. Chumbo gera perda de memória, dor de cabeça, irritabilidade, tremores musculares, lentidão de raciocínio, alucinação, anemia, depressão, insônia, paralisia, salivação, náuseas, vômitos, cólicas, perda do tônus muscular, atrofia e perturbações visuais, e hiperatividade.

Fabricantes e importadores de pilhas e baterias têm que ter sua situação legalizada junto ao IBAMA e junto aos órgãos de proteção ambiental como a CETESB em São Paulo. O mesmo não pode ser dito com relação a pilhas e baterias compradas de empresas não legalizadas. Infelizmente existem no mercado muitas pilhas e baterias de origem ilegal. Como não se conhece a procedência das pilhas e baterias, não há como garantir que as mesmas se encontram dentro dos padrões mínimos exigidos pela legislação brasileira. Ao comprar uma bateria de origem ilegal, o consumidor poderá estar causando sérios danos ao meio ambiente.

A resolução 401 do CONAMA regulamenta essa questão. De acordo com essa resolução, as baterias que podem ser jogadas no lixo doméstico devem ter essa indicação em sua embalagem. Pode-se jogar no lixo doméstico as pilhas comuns e alcalinas, utilizadas em rádios, gravadores, walkman, brinquedos, lanternas; as baterias de níquel-metal-hidreto (NiMh), utilizadas em celulares, telefones sem fio, filmadoras e notebooks; as baterias de lítio-ion, utilizadas em celulares e notebooks; as pilhas de zinco-ar, utilizadas em aparelhos auditivos; as pilhas de lítio tipo botão usadas em equipamentos fotográficos, agendas eletrônicas, calculadoras, filmadoras, relógios, computadores, notebooks e videocassete. Apesar disto, o ideal é não jogar nenhuma pilha ou bateria no lixo. Elas tem materiais que podem ser reaproveitados através da reciclagem. A reciclagem de pilhas e baterias ajuda a conservar o meio ambiente porque assim se reduz o consumo de matérias primas extraídas da natureza. A S.T.A. oferece gratuitamente aos seus clientes serviços de reciclagem de pilhas e baterias. É proibido pela resolução CONAMA 401 jogar qualquer pilha ou bateria em rios, praias, esgotos, redes de águas pluviais, ruas ou qualquer outro local à céu aberto.

As baterias de niquel-cádmio, de chumbo e de oxido de mercúrio não devem ser jogadas no lixo, devendo ser encaminhadas para reciclagem. Elas devem ser entregues, após seu esgotamento energético, pelos usuários, aos estabelecimentos que as comercializam ou à rede de assistência técnica autorizada pelas indústrias.

A S.T.A. presta aos seus clientes um serviço gratuito de reciclagem de pilhas e baterias. Basta envia-las à S.T.A. que se encarregará de todos os procedimentos adequados para o correto descarte dessas baterias. A S.T.A. possui todas as licenças necessárias junto ao IBAMA e à CETESB.